Você conhece as causas e os tratamentos para escoliose?


Foto: Adobe Stock

Você já ouviu falar em escoliose? A doença é bem mais comum do que parece! Ela é caracterizada pela curvatura lateral da coluna de forma acentuada, com a rotação das vértebras, formando um “S” ou “C” nas costas da pessoa. Dependendo da gravidade do problema e do diagnóstico tardio, a escoliose pode afetar outras estruturas do corpo.


Existem muitas causas para escoliose, incluindo problemas genéticos, neuromusculares e desigualdade de comprimento dos membros, má postura; além de causas como a paralisia cerebral, espinha distrofia muscular, atrofia muscular e tumores. Mas nem sempre o motivo é tão simples de ser detectado.


Alguns sintomas podem ser bem visíveis e mais comuns em quem sofre com a doença, como ombros em alturas diferentes, aparência do quadril mais levantado, inclinação do corpo inteiro para um lado, costelas com alturas diferentes entre outros.


Em geral, o diagnóstico é confirmado por um especialista por meio de radiografia, radiografia da coluna vertebral, tomografia computadorizada (TC) ou ressonância magnética (IRM) da coluna vertebral.


Para esclarecer dúvidas sobre a doença, o Dr.º José Thiago Portella Kruppa, ortopedista da SOU, rede de clínicas médicas paulistana especializada em ortopedia, responde abaixo cinco perguntas sobre sintomas, causas e tratamentos da escoliose:


Quais são os diferentes tipos da doença?

“Entre as variações da escoliose as mais comuns são: idiopática, quando a causa é desconhecida; congênita, causada por má formações da coluna vertebral durante o desenvolvimento do feto; e neuromuscular, causada por problemas neuromusculares como paralisia cerebral, mielomenigocele e distrofias musculares”, explica.


Quais são as formas de tratamento?

“Os procedimentos para tratar a escoliose variam de acordo com a gravidade de cada caso.  Porém, em todos o médico pode recomendar a fisioterapia, treinamentos musculares ou exercícios regulares para ajudar na recuperação muscular e no alívio da dor”, pontua. Em pacientes que ainda estão em fase de desenvolvimento como infância ou adolescência, o uso de colete pode evitar a piora do problema. A cirurgia só é aconselhada em escolioses em estágio avançado.


Pessoas com escoliose podem praticar atividade física?

Depende da gravidade de cada caso, por isso a importância de consultar um médico e sempre avisar o professor da modalidade praticada sobre todo e qualquer problema de saúde. O especialista completa que a prática esportiva geralmente é benéfica para quem tem escoliose, desde que seja realizada com moderação e com a supervisão de um profissional.


A escoliose é causada por má postura?

As escolioses graves ou progressivas não são causadas por má postura. Nas escolioses posturais a coluna é estruturalmente normal, mas parece curvada por causa de outra disfunção, como diferença no comprimento das pernas, ou desequilíbrios musculares. A curva é geralmente leve e muda ou desaparece quando a pessoa se inclina para os lados ou para a frente.


Gestantes com escoliose podem apresentar complicações?

Mulheres com escoliose grave podem ter mais dores durante a gestação. O profissional conclui que em alguns casos são recomendados partos cesarianos porque a escoliose pode comprometer os músculos da gestante, dificultando o trabalho de parto normal.


Se você sente algum incômodo na coluna e acha que pode ser um quadro de escoliose, consulte um ortopedista para saber qual o melhor tipo de tratamento para o seu caso.

20 visualizações

Notícias e dicas de saúde

CONVÊNIOS

DO INEURO

convenios.png
convenios.png
convenios.png

Instituto de Neurocirurgia e Cirurgia da Coluna
Localizado em João Pessoa, na Paraíba. Formado exclusivamente por neurocirurgiões titulados, oferecemos qualidade no atendimento, diagnóstico e procedimentos cirúrgicos.

ineurologo.png

Mídias Sociais:

logo-ineuro.png