Considerações sobre Cirurgia de Coluna no Idoso

Atualizado: 17 de Nov de 2019



O impacto dos avanços da medicina ao longo dos séculos resultou no aumento significativo da longevidade da população. Em todo o mundo, esse processo vem ocorrendo com maior ou menor intensidade conforme o grau de desenvolvimento de cada país. No Brasil, segundo dados do Censo Demográfico 2010, realizado pelo IBGE, houve um aumento da população com 65 anos ou mais, que era de 4,8% em 1991, passando a 5,9% em 2000 e chegando a 7,4% em 2010. Em paralelo a esse fenômeno epidemiológico de envelhecimento da população está o aumento proporcional de doenças associadas a essa faixa etária como doenças degenerativas da coluna, fraturas osteoporóticas e câncer.


Evidentemente, que as abordagens terapêuticas devem ser dimensionadas tanto em relação aos medicamentos melhor tolerados pelo organismo, como, quando necessário, pelas técnicas cirúrgicas disponíveis para aliviar a dor e proporcionar melhora neurológica da maneira menos invasiva e mais eficiente possível.


Autor: Dr. Alécio Barcelos - Neurocirurgião, PhD

10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Ressecção de tumores espinhais

O tumores espinhais podem se originar de diferentes compartimentos da coluna vertebral. Em princípio, a estratégia terapêutica depende da presença ou não de comprometimento neurológico, do diagnóstico

Cirurgias de correção de deformidades

Existem diferentes causas de deformidades da coluna vertebral. Podem ser congênitas, idiopáticas (como a escoliose do adolescente), pós-traumáticas, degenerativas ou secundárias a tumores ou infecções